segunda-feira, 30 de março de 2015

Qual o verdadeiro significado da Páscoa?




A Páscoa é uma das datas comemorativas mais importantes do nosso calendário. Atualmente, tornou-se uma data tão comercial, que poucos lembram ou conhecem seu verdadeiro significado. Para além dos chocolates e presentes, a CPAD - editora cristã - reforça a origem do termo, que remonta a aproximadamente 1.445 anos antes de Cristo.

Para contextualizarmos, neste período, de acordo com a Bíblia, os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó viviam como escravos há mais de quatrocentos anos no Egito. A fim de libertá-los, Deus designou Moisés como líder do povo hebreu (Êxodo 3-4). 

Em obediência ao Senhor, Moisés dirigiu-se a Faraó a fim de transmitir-lhe a ordem divina: “Deixa ir o meu povo”. Para conscientizar o rei da seriedade da mensagem, Moisés, mediante o poder de Deus, invocou pragas como julgamentos contra o Egito. 

No decorrer de várias dessas pragas, Faraó concordava deixar o povo ir, mas, a seguir, voltava atrás, uma vez a praga sustada. Soou a hora da décima e derradeira praga, aquela que não deixaria aos egípcios nenhuma outra alternativa senão a de lançar fora os israelitas: Deus mandou um anjo destruidor através da terra do Egito para eliminar “todo primogênito... desde os homens até aos animais” (Êx.12.12). 





A primeira Páscoa:

Como os israelitas também habitavam no Egito, o Senhor emitiu uma ordem específica a seu povo. A obediência a essa ordem traria a proteção divina a cada família dos hebreus, com seus respectivos primogênitos. Cada família tomaria um cordeiro macho, de um ano de idade, sem defeito e o sacrificaria. Famílias menores podiam repartir um único cordeiro entre si (Êx. 12.4). 

Os israelitas deviam aspergir parte do sangue do cordeiro sacrificado nas duas ombreiras e na verga da porta de cada casa. Quando o destruidor passasse por aquela terra, ele não mataria os primogênitos das casas que tivessem o sangue aspergido sobre elas. Daí o termo Páscoa, do hebreu pesah, que significa “pular além da marca”, “passar por cima”, ou “poupar”. 

Assim, pelo sangue do cordeiro morto, os israelitas foram protegidos da condenação à morte executada contra todos os primogênitos egípcios. Deus ordenou o sinal do sangue, não porque Ele não tivesse outra forma de distinguir os israelitas dos egípcios, mas porque queria ensinar ao seu povo a importância da obediência e da redenção pelo sangue, preparando-o para o advento do “Cordeiro de Deus,” Jesus Cristo, que séculos mais tarde tiraria o pecado do mundo (Jo. 1.29). 

De acordo com a Bíblia, no livro de Êxodo, capítulo 12, versículo 31, naquela mesma noite Faraó, permitiu que o povo de Deus partisse, encerrando assim, séculos de escravidão e inaugurando uma viagem que duraria quarenta anos, até Canaã, a terra prometida.

A partir daquele momento da história, os judeus celebrariam a Páscoa toda primavera, obedecendo as instruções divinas de que aquela celebração seria “estatuto perpétuo” (Êx. 12.14). Era, porém, um sacrifício comemorativo, exceto o sacrifício inicial no Egito, que foi um sacrifício eficaz.





Libertação

Assim sendo, lembremos, não somente nesta data, mas em todos os dias, o verdadeiro significado da Páscoa. Assim como o Todo Poderoso libertou os hebreus da escravidão no Egito, Deus quer nos libertar da escravidão do pecado e por isso, enviou seu Filho, Jesus Cristo, para que “todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (Jo. 3.16) Vida esta conquistada com sangue “porque Cristo, nossa Páscoa, foi sacrificado por nós.” (I Co 5.7) 

Nesta data, os judeus fazem e comem o matzá (pão sem fermento) para lembrar a rápida fuga do Egito, quando não sobrou tempo para fermentar o pão.  

A Páscoa entre os cristãos:
Entre os primeiros cristãos, esta data celebra a ressurreição de Jesus. 
O festejo era realizado no domingo seguinte a lua cheia posterior ao equinócio da Primavera (21 de março).






Entre as civilizações antigas

Historiadores encontraram informações que levam a concluir que uma festa de passagem era comemorada entre povos europeus há milhares de anos atrás. Principalmente na região do Mediterrâneo, algumas sociedades, entre elas a grega, festejavam a passagem do inverno para a primavera, durante o mês de março. Geralmente, esta festa era realizada na primeira lua cheia da época das flores. Entre os povos da antiguidade, o fim do inverno e o começo da primavera era de extrema importância, pois estava ligado a maiores chances de sobrevivência em função do rigoroso inverno que castigava a Europa, dificultando a produção de alimentos.
  


A História do coelhinho da Páscoa e os ovos

A figura do coelho está simbolicamente relacionada à esta data comemorativa, pois este animal representa a fertilidade. O coelho se reproduz rapidamente e em grandes quantidades. Entre os povos da antiguidade, a fertilidade era sinônimo de preservação da espécie e melhores condições de vida, numa época onde o índice de mortalidade era altíssimo. No Egito Antigo, por exemplo, o coelho representava o nascimento e a esperança de novas vidas.

Mas o que a reprodução/fertilidade tem a ver com os significados religiosos da Páscoa?
 Tudo o que vem para tirar o foco das coisas de Deus, sabemos que tem haver com satanás. Se pararmos para refletir, as pessoas correm tanto atras de ovos, bombons e adereços, que nem se preocupam ou sabem do verdadeiro sentido da Páscoa. 
Que é LIBERTAÇÃO. UMA NOVA VIDA. E ISSO SÓ VEM ATRAVÉS DE JESUS, E NÃO DE OVOS DE PASCOA OU CHOCOLATES. VAMOS DAR A DEUS O QUE É DE DEUS!! 

Celebremos então a liberdade conquistada por Jesus Cristo na cruz para todos nós!

DEUS TEM UM PLANO DE SALVAÇÃO PRA SUA VIDA! ELE TE AMA!!!

quinta-feira, 5 de março de 2015

Fé! Dom gratuito de Deus.


SIGNIFICADO DA FÉ

A fé é a expressão máxima da natureza religiosa do homem. Quando recebemos a Cristo como nosso Salvador. Deus pôs em nós uma fé, centralizada na pessoa de Jesus Cristo. Não se trata de uma confiança cega ou sem fundamento. É a confiança plena na Palavra de Deus, pois ela é inteiramente verdadeira e infalível. É o reconhecimento da obra de Cristo, de seu poder e do seu ensino para nossa vida. É o Espírito Santo que opera a fé, e diga-se de passagem: Ele só habita dentro daqueles que abandonaram definitivamente o estilo de vida mundano para seguirem a Cristo. Ele não habita em templo sujo, ou seja, que continua com as práticas do mundo. 
O Espírito Santo nos chama ao arrependimento. E se nos arrependermos e deixarmos, alcançaremos a misericórdia de Deus (Pv. 28.13)
 Em João 14.17 lemos assim: “O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.”




 A FÉ QUE NOS FOI DADA

Em Judas 3 lemos: “Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos.” Esta fé deve ser preservada e fortalecida a cada dia. Em Colossenses 2.6-8 lemos: “como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele, arraigados e edificados nele, e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, nela abundando em ação de graças. Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens.”

 

 


A FÉ É PROVISÓRIA

Após o arrebatamento da igreja não necessitaremos mais de fé, tendo em vista que estaremos pessoalmente com Cristo. O que devemos fazer até a chegada desse dia glorioso? Confiar a cada dia nas promessas de Deus crendo para contemplar a glória de Deus. Jesus disse a Marta: “Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus? (João 11.40) 
Em Hebreus 11.6 lemos assim: “ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.”

 


SEM FÉ É IMPOSSÍVEL AGRADAR A DEUS

Quando duvidamos da Palavra de Deus insinuamos que ela não é verdade e toda dúvida acerca da Palavra procede diretamente do diabo. O diabo pretende minar o fundamento de nossa fé que é a Palavra. Tenhamos cuidado com pensamentos dessa natureza! Desde o início do mundo ele tem usado esta estratégia. Quando estávamos no mundo, o diabo nos enganava sussurrando que poderíamos viver de qualquer maneira sem ser necessário obedecer a Palavra de Deus, e que no final tudo sairia muito bem. Entretanto Cristo diz diferente. Ele orou por nós assim: “Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como eu do mundo não sou. Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.” (João 17.14-17) Deus nos quer afastado do sistema deste mundo perverso. Essa é a prova do novo nascimento. Em 1 João 5.4 está escrito: “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.”

 


A IMPORTÂNCIA DA FÉ

A fé é a nossa condição de vida! Está escrito: “o justo viverá da fé.” (Gálatas 3.11b) Sem ela seremos como um barco à deriva. Em 1 Timóteo 1.19 lemos assim: “Conservando a fé, e a boa consciência, a qual alguns, rejeitando, fizeram naufrágio na fé.”  Veja em sua Bíblia outras considerações acerca da importância da fé:
  1.  Somos salvos pela graça por meio da fé. (Ef 2.8,9)
  2.  Temos acesso a Cristo pela fé. (Ef 3.12)
  3.  Cristo habita em nossos corações pela fé. (Ef 3.17)
  4.  A fé é um escudo para proteção da alma. (Ef 6.16)
  5.  Somos guardados pela fé. (1 Pe 1.5; 1 Co 1.24)
  6. As promessas de Deus são recebidas paciência e fé. (Hb 6.12,15; 11.33)




CONSEQUÊNCIAS DA FALTA DE FÉ

A fé é o princípio da obediência. Só obedece quem tem fé e só tem fé quem obedece. Portanto não praticar a Palavra de Deus significa não ter fé nele. Se alguém não crê na eficiência da Palavra de Deus tal pessoa viverá segundo o seu próprio pensamento ou viverá enganada, daí a desobediência e o fracasso espiritual. Por isso Cristo falou: “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.”


COMO SE EXPRESSA A FALTA DE FÉ NA PALAVRA DE DEUS

Viver de forma materialista (avarenta) Em 1 Tm 6.10 lemos: “Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.” 
Cristo nos ensinou a combater a avareza. Em Lucas 12.31 lemos: “Buscai antes o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” Em Hebreus 10.38;39 lemos também: “Mas o justo viverá da fé; e, se ele recuar, a minha alma não tem prazer nele. Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a perdição, mas daqueles que creem para a conservação da alma.”




UM ALERTA SOBRE NOSSOS SENTIMENTOS

Fiquemos certo que enfrentaremos muitas lutas e obstáculos. Cristo não escondeu isto de ninguém. Ele falou assim: “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” (João 16.33) O mandamento de Cristo é ter bom ânimo, ou seja, manter-se animado apesar das circunstâncias. Não podemos servir a Deus com base em nossos sentimentos, pois eles mudam! Vejamos o exemplo do apóstolo Paulo quando enfrentou algumas dificuldades: “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós. Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados; perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos, trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também nos nossos corpos” (2 Coríntios 4.7-10) Já pensou se ele se deixasse ler levado pelas emoções?


DEUS JÁ GARANTIU A NOSSA VITÓRIA

Como dissemos, em nossa jornada cristã surgirão muitos obstáculos que desafiarão a nossa fé. Nestes momentos tenhamos plena confiança nas promessas de Deus e aprendamos a descansar nele. Ter fé significa colocar-se inteiramente na dependência de Deus sabendo que Ele cuidará de nós. 
Nos dias do profeta Habacuque a escassez de alimentos era um grande problema. O profeta poderia ter ficado triste e abatido, mas como ele se comportou? Ele escolheu descansar na soberania de Deus! Habacuque se expressou assim: “Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação.” (Hc 3.17,18) Esta é a escolha certa que devemos aprender em nosso caminhar com Cristo.


PROMESSAS DE DEUS PARA FORTALECER A FÉ

Aprendemos com o profeta Habacuque que devemos deleitar-nos no Senhor. Há centenas de promessas de Deus para o seu povo. Vejamos alguns exemplos:
  • “Espera no Senhor, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração; espera, pois, no Senhor.” (Salmos 27.14)
  • “No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.” (Efésios 6.10)
  • “A alegria do Senhor é a vossa força.” (Neemias 8.10b)
  • “Direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei.” (Salmos 91.2)
  • “Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.” (Isaias 41.10)
  • “O Senhor, pois, é aquele que vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te espantes.” (Deuteronômio 31.8)
  • “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra.” (Salmos 34.7)
  • “Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas tu não serás atingido.” (Salmos 91.7)
  • “E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém.” (Romanos 16.20)



CONCLUSÃO

Após considerar o cuidado especial de Deus por nós, resta-nos alegrarmos diariamente por esse grande privilégio. De tudo que aprendemos neste estudo, veja os 5 passos fundamentais para manter a fé fortalecida:
  1. Meditar na Palavra. (Josué 1.8; Sl 19.8; Jr 15.16; Sl 119.133)
  2. Separarmos tempo para a oração. (Lucas 6.12; 18.7,8)
  3. Congregar-nos regularmente. (Hebreus 10.25)
  4. Trabalhar na evangelização. (1 Tessalonicenses 1.8)
  5. Sermos agradecidos (Romanos 4.20; Fp 2.14)

Que vivamos por fé, e não por vista (2 Coríntios 5.7). Este é o plano de Deus para a vida de seus fiéis. “Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo.” (Fp 1.6)
“Por esta razão, pois, te admoesto que reavives o dom de Deus que há em ti pela imposição das minhas mãos.” (2 Timóteo 1.6)

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Sangue é vida!





O Projeto Semeando Vidas com Jesus, foi neste sábado passado, fazer doação de sangue em prol de uma vida que estava precisando. E aproveitamos e nos cadastramos para a doação de médula, sabemos que a leucemia é uma doença que real e que se a pessoa não achar o doador compatível, a pessoa pode morrer. Imagine a cada 1000 pessoas somente 1 é compatível para a doação? 
 HOJE muitas vidas estão precisando desta doação de sangue e de médula, para voltar à vida. Pense que através do seu sangue pessoas podem ser curadas, ter vida.
Porque tudo o que temos e o que somos são bênçãos de Deus. 
Inclusive o nosso sangue,
Deus deixou uma ordem para cada um de nós: Ame o seu próximo como a si mesmo.
Ou seja, se você não quer para você não queira para os outros.
Pense, hoje é o seu próximo que precisa, amanhã pode ser você!  

Lembre-se: 
Jesus foi o maior doador de sangue, pois Ele doou o seu sangue lá na cruz, para nos dar vida!

Fiquem na paz do Senhor e Salvador Jesus Cristo!

domingo, 21 de dezembro de 2014


Será o Natal realmente a celebração do nascimento de Jesus Cristo? Nasceu Jesus em 25 de dezembro? Será que os primeiros apóstolos que foram ensinados pessoalmente por Jesus, alguma vez celebraram o nascimento do “menino” Jesus? Será que eles o comemoravam no dia 25 de dezembro?
Ou em qualquer outro dia?
Se o Natal é uma das maiores festas da cristandade, por que será que os pagãos o celebram também? Você sabe? 
E os símbolos do natal, você conhece a origem deles? 
Do “Papai Noel”, da “Árvore”, das “Luzes”, das “Guirlandas”, da troca de “Presentes”? 
Vamos então aos fatos!

 I – O SIGNIFICADO DE “NATAL” A palavra “Natal” - tem a ver com nascimento, ou aniversário natalício, especialmente com o dia em que geralmente se comemora o nascimento de Jesus Cristo. Este vocábulo não aparece na Bíblia, e também não foi utilizado pelos primeiros apóstolos. A “festa de Natal” não se inclui entre as festas bíblicas, e não foi instituída por Deus. Teve origem na Igreja Católica Romana a partir do século IV, e daí se expandiu ao protestantismo, e ao resto do mundo. As Enciclopédias de um modo geral contêm informações sobre a origem sob os títulos “natal” e “dia de natal”. Consulte, por exemplo: a) Enciclopédia Católica, edição inglesa; b) Enciclopédia Britânica, edição de 1946; c) Enciclopédia Americana, edição 1944. É fato que o Natal não foi observado pelos primeiros cristãos, durante os primeiros duzentos ou trezentos anos desta era. 

II - A ORIGEM DO 25 DE DEZEMBRO Tem a ver com a festividade da brunária pagã (25 de dezembro), que seguia a Saturnália (17-24 de dezembro) celebrando o dia mais curto do ano e o “Novo Sol”… Essas festividades pagãs eram acompanhadas de bebedices e orgias… Pregadores cristãos do ocidente e do oriente próximo, protestaram contra a frivolidade indecorosa com que se celebrava o nascimento de Cristo, enquanto os cristãos da Mesopotâmia acusavam os irmãos ocidentais de idolatria e de culto ao Sol, por aceitarem como Cristã a festividade pagã. Com a aprovação dada por Constantino para a guarda do domingo, dia em que os pagãos adoravam o Sol, e como a influência do maniqueísmo pagão que identificava o filho de Deus como o Sol físico, proporcionou a esses pagãos do século IV, agora “convertidos” em massa ao “cristianismo” o pretexto necessário para chamar a festa de 25 de dezembro (dia do nascimento do deus-sol) de dia do nascimento do filho de Deus, assim foi que “o Natal” se enraizou no mundo ocidental! O Natal é, portanto, a mesma velha festividade pagã de adoração ao Sol. A única coisa que mudou foi o nome. 

III - A ÁRVORE DE NATAL E OS PRESENTES A origem da árvore de Natal vem da antiga Babilônia... Vem de Ninrode, neto de Cão, filho de Noé. Ninrode se afastou de Deus e enveredou-se pelo caminho da apostasia. Segundo se sabe, Ninrode era tão perverso que se teria se casado com a própria mãe, cujo nome era Semíramis! Após a sua morte, sua mãe-esposa propagou a doutrina maligna da sobrevivência de Ninrode como um ente espiritual. Ela alegava que um grande pinheiro havia crescido da noite para o dia, de um pedaço de árvore morta, que simbolizava o desabrochar da morte de Ninrode para uma nova vida. E, todo ano, no dia de seu aniversário de nascimento ela alegava que Ninrode visitava a árvore “sempre viva” e deixava presentes nela. Entre os druidas, o carvalho era sagrado, entre os egipcios as palmeiras, em Roma era o Abeto, que era decorado com cerejas negras durante a Saturnália (Walsh Curiosities of popular customs, pág. 242). O deus escandinavo Odin era crido como um que dava presentes especiais na época de Natal a quem se aproximava do seu Abeto Sagrado. Esta é a verdadeira origem da “Árvore de Natal” e da prática de se dar “presentes”! Jeremias 10:2-4 - “Assim diz o Senhor: Não aprendais o caminho das nações, nem vos espanteis com os sinais do céu; porque deles se espantam as nações, pois os costumes dos povos são vaidade; corta-se do bosque um madeiro e se lavra com machado pelas mãos do artífice. Com prata e com ouro o enfeitam, com pregos e com martelos o firmam, para que não se mova.” 

IV - O “PAPAI” NOEL E A PRÁTICA DE SE DAR PRESENTES ÀS ESCONDIDAS O velho “Noel” não é tão bondoso e santo quanto muitos pensam! O nome “Papai Noel” é uma corruptela do nome “São Nicolau”, um bispo romano que viveu no século V. Na Enciclopédia Britânica, vol.19 páginas 648-649, 11ª edição inglesa, consta o seguinte: “São Nicolau, bispo de Mira, um santo venerado pelos gregos e latinos no dia 6 de dezembro… A lenda de suas dádivas oferecidas as escondidas, de dotes, às três filhas de um cidadão empobrecido…” Daí teria surgido a prática de se dar presentes“as escondidas” no dia de São Nicolau (6 de dezembro). Mais tarde essa data fundiu-se com o “Dia de Natal” (25 de dezembro), passando a se adotar também no natal essa prática de se dar presentes “às escondidas”, como o fazia o Saint Klaus (o velho Noel!). Daí surgiu a tradição de se colocar os presentes às escondidas junto às árvores de natal!

V - A COROA DE AZEVINHO OU GUIRLANDA: Ás vezes conhecida por “coroa de Natal” ou “Guirlanda” são memoriais de consagração. Em grego é “stephano”, em latim “corona” - podem ser entendidas como:- enfeites, oferendas, ofertas para funerais, celebração memorial aos deuses, celebração memorial à vitalidade do mundo vegetal, celebração das vítimas que eram sacrificadas aos deuses pagãos, celebração nos esportes. Significam um “Adorno de Chamamento” e, consequentemente, são porta de entrada de deuses. Razão pela qual, em geral, se colocam as guirlandas nas portas, como sinal de boas vindas! A maior parte dos deuses pagãos do Egito aparecem sempre com a “guirlanda” na cabeça! A Bíblia não faz qualquer menção de uso de “guirlanda” no nascimento de Jesus. Só existe uma guirlanda na Bíblia, e esta foi feita por Roma para colocar na cabeça de Jesus no dia da sua morte. Esta guirlanda de espinhos é símbolo de escárnio! 

VI - VELAS OU LUZES: O Uso de velas é um ritual pagão dedicado aos deuses ancestrais. A vela acendida está fazendo renascer o ritual dos solstícios, mantendo vivo o deus sol. Não tem nenhuma relação com o candelabro judaico (ou Menorah). Mais recentemente, em lugar das velas passou-se a adotar velas elétricas, velas à pilha, e, finalmente, as luzes - o sentido é o mesmo! 

VII – PRESÉPIO: O presépio é um altar a Baal, consagrado desde a antiga babilônia. É um estímulo à idolatria! Os adereços encontrados no chamado presépio são simbologias utilizadas na festa do deus sol. O Presépio estimula a veneração das imagens e alimenta a idolatria… Em Êxodo 20:1-6, lemos:- “Então falou Deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam e uso misericórdia com milhares dos que me amam e guardam os meus mandamentos.”; em I Cor 10:14-15 está escrito: “Portanto, meus amados, fugi da idolatria. Falo como a entendidos; julgai vós mesmos o que digo.”.No Brasil a abertura da comemoração do Natal é feita com uma famosa “Missa do Galo”, a qual é celebrada sempre diante de um presépio, um "altar consagrado", cujas figuras estão relacionadas com a Babilônia, e não com a realidade do Evangelho. Sabemos que não há mandamento ou instrução alguma na Bíblia para se celebrar o nascimento de Cristo! Somos orientados sim a lembrar da sua morte e ressurreição que nos proporcionou a Vida (I Cor. 11:24-26; Jo. 13:14-17). Não é errado desejar um feliz Ano Novo para alguém, porém agora que sabemos da origem pagã dos símbolos e práticas do natal, não se mostra adequado desejar tão somente: “Feliz Natal”, sobretudo ao não cristão! Seria mais conveniente se disséssemos algo mais ou menos assim: "Que o Senhor Jesus Cristo te abençoe nestes dias..."; ou "Desejo bênçãos abundantes do Senhor sobre a sua vida", ou ainda: "Que Jesus Cristo encontre morada no seu coração e possa nascer na sua vida." Penso que, a exemplo da chamada "semana santa" em que as Igrejas sempre souberam aproveitar bem para evangelizar, podemos e devemos aproveitar a semana natalina para realizar cultos evangelísticos genuinamente cristãos, e anunciar ao mundo o verdadeiro sentido do natal, que poderá até começar com a manjedoura, mas deverá incluir sempre a história da cruz! Não pensem os irmãos que sou um daqueles críticos "anti-natalinos", pois como escrevi gosto desses dias festivos. Mas fica para nós Cristãos o trabalho de por esses dias aproveitar para falar do nascimento do Salvador e sua missão aqui na terra. Apresentar Jesus às pessoas como a Verdade que liberta, como profetizou Isaías no cap. 61. 1- O Espírito do Senhor Jeová está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos e a abertura de prisão aos presos; 2- a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nossos Deus; a consolar todos os tristes; 3- a ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê ornamento por cinza, óleo de gozo por tristeza, veste de louvor por espírito angustiado, a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantação do Senhor, para que ele seja glorificado. Desejo aos irmãos boas festas e que aproveitemos esses dias para falar de nosso Senhor Jesus. 

VIII - ORIGEM DO "AMIGO OCULTO":
Dizem que essa tradição surgiu há muito tempo, na Grécia antiga, quando os gregos presenteavam pessoas influentes escolhidas aleatoriamente em algumas datas festivas. Outros dizem que a tradição surgiu por volta do século XVIII, pelos povos nórdicos que trocavam presentes para celebrar outros deuses. 

Amados, que o Espírito Santo de Deus fale mais ainda com vocês. Pois, sabemos que não adianta está todos os dias na igreja se primeiramente não damos o exemplo de "não ser só ouvintes da palavra mais acima de tudo praticantes" ( Tiago 1.23).
Não troque a sua intimidade com Deus e até mesmo a sua salvação por causa de um chester, peru, pernil, etc. Porque sabemos que essa celebração não tem nada haver com o nascimento de Jesus, e sim, com um deus pagão. E ainda há quem pense ou diga: eu oro e Deus vai fazer toda obra de engano cair por terra (pra poder comer). Isso valeria, se você não soubesse da verdade, o que não é mais o caso. Ou até mesmo podem falar que isso é religiosidade. Pois, não só o inimigo, mas a sua carne, vai dizer muita coisa pra que você não venha deixar essa prática, que aprendemos desde quando nascemos. Mas, amados, se o próprio DEUS VIVO disse que não deveríamos adorar nenhum deus que não seja a ELE, porque iríamos continuar na prática que sabemos que é a celebração/adoração a outros deuses? 
Agora você sabe da verdade, e não troque a sua adoração ao Senhor JESUS por nada. 
Porque não somos mais pegos como inocentes.
 

Fiquem todos na santa paz de Jesus.

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Contando a Glória de Deus




Como não contar os Teus feitos, oh Senhor dos exércitos? 
Como não te exaltar e te bendizer por Tua glória na vida do Teu povo? 
Como não dizer que a Tua destra não nos sustenta? 
Se é somente o Senhor que nos guarda! 
Que vai adiante de nós, nos livrando de todos o mal 
Tirando todo o embaraço 
E quebrando todas as correntes que o inimigo por vez tenta para nos derrubar 
Ai de nós se não fosse o Seu olhar atento sobre nós 
Já teríamos perecido a muito tempo. 
Mas, a Tua graça e misericórdia vem sobre as nossas vidas 
Renovando as nossas forças 
Nos dando força para prosseguir! 
Pai, obrigado pelas adversidades, 
Pois elas vem sobre as nossas vidas 
Para que o Teu nome venha ser glorificado 
Porque sei que depois da luta vem a vitória! 
 Nos ajuda, oh Pai! 
A sempre estar contigo não pelas obras de Tuas mãos 
Mas, sim pelo que Tu és! 
Pai zeloso, amigo, amado de nossas almas 
Que por amor a nós deu Seu primogênito 
Para que todo aquele que nEle crer 
Não pereça mais tenha a vida eterna. 
Te amo, te louvo, te exalto, te bendigo, 
Na beleza da tua Santidade 
Porque Tu es o Deus verdadeiro! 
Não há outro além de Ti e nem haverá! 
Santo, santo és tu, Deus da minha vida!

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Qual é a sua motivação?






Estava pensando num tema para postar aqui...e veio em meu coração o tema "motivação"
E a primeira coisa que me veio na cabeça foi:
O que me motiva?
A resposta é imediata: DEUS
Sempre falo com meu Pai Celestial, que não adianta eu ter o mundo e não ter a presença dEle.
Tudo na minha vida foi o Senhor que me deu. E isso só foi possível, depois de muito "quebrar a cara".
Às vezes, colocamos algo na cabeça para fazer, mas não perguntamos a DEUS, se Ele está de acordo.
Ah! Mas pra que perguntar?
Do que adianta você colocar um propósito em seu coração, e Deus não estar à frente? A chance deste seu propósito dar certo, é quase nula.
Mas, quando Deus diz: Estou no negócio!
A vitória meu irmão, é garantida!
Depois que aprendi a "pedir conselhos" a Deus, não houve algo que eu começasse, e que não terminasse em vitória. Porque se Ele diz que está no negócio, Ele garante!!!!
E olha que a grande maioria, eram coisas impossíveis aos meus olhos, mas aos olhos do nosso Papai, nada é impossível, logo, POSSO TODAS AS COISAS NAQUELE QUE ME FORTALECE!!!
Claro, que o inimigo tenta colocar dúvidas,  pra que não creiamos no Deus que a gente serve.
E o próprio Deus, às vezes coloca alguns obstáculos, pra testar a nossa fé!
Basta que coloquemos a "questão" em suas mãos. Mas, não deixemos de orar, jejuar.
Porque muitas pessoas às vezes fala: Coloquei nas mãos de Deus. Só Ele pode resolver.
Mas não ora e nem jejua mais pelo propósito.
E o fato de colocar nas mãos dEle, é que você não vai ficar mais se desgastando batendo de frente com o problema.
Sem falar, que a nossa guerra não é contra a carne e nem contra o sangue, e sim, contra os principados e potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade. (Efésios 6:12)
 Por isso, o orar e jejuar. Você está lutando espiritualmente!!
Daniel quando jejuou vinte e um dias, com o propósito de interceder pelo povo de Deus que estava no cativeiro. E depois dos vinte e um dias, o anjo apareceu lhe confortando (porque ele estava debilitado por causa do jejum, e muito triste com a situação do povo).
Bem, o anjo disse a Daniel, que desde o primeiro dia em que ele aplicou no seu coração a compreender e a se humilhar perante ao Senhor, foram ouvidas as suas palavras. Mas, o príncipe da Pérsia (principado) se pôs defronte de mim (o anjo) vinte e um dias, e eis que Miguel(arcanjo), um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia.(Daniel 10:12;13)

Fiquem na Paz!

O que estamos semeando?




Ao fecharmos os olhos, o que veremos?
O que se tem a fazer?
Pra onde iremos?
De certo que essas perguntas serão respondidas
Através do que você está plantando agora.
Sendo assim:
O que você vê agora te aproxima de Deus?
Como você está vivendo a vida?
Você lê e pratica a palavra de Deus? 
Porque se você busca coisas que edificam, elas te aproximam de Deus, logo você procura ter uma vida santificada (separada).
E tudo isso, só vem com a leitura e a prática da palavra de Deus.
Pois, como o Salmista disse: Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra e luz para os meus caminhos. (Salmos 119.105)
E Jesus disse: Conhecereis a verdade e ela te libertará! (João 8.32)
Costumo dizer que a bíblia é a bússola do cristão. É ela que nos mostra o caminho certo a seguir!
A bíblia quando aberta, se torna a boca do próprio Deus!
Que venhamos fazer mais leitura/uso/prática da palavra de Deus. E guardá-la na tábua do nosso coração.